Mostrando postagens com marcador crônicas. Mostrar todas as postagens

Por Rejane Luci Silva da Costa Sofrer preconceito não tem nexo, ser discriminado deixa qualquer ser perplexo. Conviver com a i...


Por Rejane Luci Silva da Costa

Sofrer preconceito não tem nexo,
ser discriminado deixa qualquer ser perplexo.

Conviver com a intolerância é absurdo,
com a hostilidade, estúpido.

Suportar a rejeição é irracional,
a opressão, surreal.

Saber que a cor da nossa pele nos condena à morte
é terrível e muito forte!

Consentir a segregação é insuportável,
permitir racismo, injustificável.

Pela da cor da pele
ser coagido, maltratado e julgado. É completamente insano.

Onde está o bom senso e a compaixão?
Isso apavora, angustia e dilacera o coração.

Pela da cor da pele
ser punido, condenado e morto. É completamente desumano.

Assistir seres humanos morrendo por essa razão é descabido
É anti-humano, é cruel. É uma situação sem sentido.

SITUAÇÕES DE INJURIA RACIAL E RACISMO? DISQUE 156.





Autora - Rejane Luci Silva da Costa Knoth
Baiana de Inhambupe
Professora e escritora com um livro publicado:
Graduada em Letras Vernáculas com Inglês - UNEB
Especialista em Educação Infantil - UNEB
Pós-Graduada em Metodologias do Ensino da Língua Portuguesa - UGF
Mestre em Letras – UNEB
WhatsApp- 7599605210

Por Rejane Luci Silva da Costa Piamente, para subsistir neste mundo precisa-se de galhardia É tanto biltre, tanto patarata, ta...


Por Rejane Luci Silva da Costa

Piamente, para subsistir neste mundo precisa-se de galhardia
É tanto biltre, tanto patarata, tanto ladino...
São atitudes e pensamentos tão nefastos e sem valia
Que crer no ser humano, em tempos árduos, parece desatino.

Uns se consideram astuto e finório
Agem como um parlapatão...
E, a fim de intrujar, usam subterfúgio
Sendo um verdadeiro aldrabão.

De forma ardilosa, lançam mão de sortilégio
Sendo um baita sotrancão
Nem se preocupam com presságio
O que é uma abominação.

Outros são janotas, mas sem galanteio
Usam da rudeza e da arrebatação
Com desígnio e objetivo sombrio
Subjugam os incautos, sem ponderação.

Querem nos urdir, com todo malefício
Pela aldabrice, pela truculência ou pela enganação
Querem nos confeiçoar, com todo artifício
Pelos putrefatos, pelo alarde ou pelo patacão.

Portanto, para nosso regozijo, sem sacrifício
É amizade em abundância, é inextinguível gratidão
É fé pujante, o que é bem propício
E amor à exaustão




Autora - Rejane Luci Silva da Costa Knoth
Baiana de Inhambupe
Professora e escritora com um livro publicado:
Graduada em Letras Vernáculas com Inglês - UNEB
Especialista em Educação Infantil - UNEB
Pós-Graduada em Metodologias do Ensino da Língua Portuguesa - UGF
Mestre em Letras – UNEB
WhatsApp- 7599605210

Por Rejane Luci Silva da Costa Para nós, pobres mortais, a vida não é nada fácil! Pagamos médico, alimentação, transporte, alugue...


Por Rejane Luci Silva da Costa

Para nós, pobres mortais, a vida não é nada fácil!
Pagamos médico, alimentação, transporte, aluguel, … como é difícil!
No entanto, tem quem receba ajuda de custo para tudo isso
Todo mês está na conta. É um compromisso!

Se você ou seu filho doente ficar
Se plano de saúde você não puder pagar
Será atendido pelo SUS, quando a fila acabar.
Entretanto, há quem não precisa por este perrengue passar
Qualquer exame, cirurgia ou tratamento pode logo realizar
Tendo sempre a certeza de que o gasto com a saúde vão reembolsar.

Você trabalha para sua família alimentar
Parte do seu salário é para comida comprar
Arroz, feijão, farinha, ... não podem faltar
Mas, há quem receba auxílio-alimentação para facilitar
A quantia deste benefício é bem particular
Em uma só refeição, o valor de uma cesta básica se pode gastar.

O transporte público em nosso país faz qualquer usuário se queixar
São barcos, ônibus ou trens difíceis de embarcar
Pois estão em péssimo estado de conservação para rodar
Ou então, surgem lotados, são caros e muitas vezes fazem o trabalhador se atrasar
Porém, há quem tenha acesso a passagens aéreas para voar
Carro alugado, combustível para seus problemas de locomoção solucionar.

A maioria dos brasileiros não tem a tão almejada casa própria pra morar
Tem que amargar os altos alugueis, mês a mês sem atrasar
Senão é senhorio em sua porta para lhe despejar.
Todavia, há quem tenha direito ao auxílio-moradia para ajudar
Ou dispõe de um apartamento funcional para ocupar
Infelizmente, estas regalias são para uma parte da população que é bem singular.

Devo esclarecer que cada prerrogativa citada na lei estar
Portanto, seus beneficiários preferem aceitar
Onerando os cofres públicos que não conseguem mais as mordomias assegurar
O que resta é a opinião pública se manifestar
Bem como, ter bastante consciência e sabedoria na hora de votar
Porque todos os brasileiros merecem ter uma vida decente e de mordomias desfrutar.

Resultado final: Somos todos mortais.




Autora - Rejane Luci Silva da Costa Knoth
Baiana de Inhambupe
Professora e escritora com um livro publicado:
Graduada em Letras Vernáculas com Inglês - UNEB
Especialista em Educação Infantil - UNEB
Pós-Graduada em Metodologias do Ensino da Língua Portuguesa - UGF
Mestre em Letras – UNEB
WhatsApp- 7599605210

Por Rejane Luci Silva da Costa Graves conflitos: Guerras tiranas, Crises desumanas. Cruéis atentados: Sofrimentos incompa...

refugiados

Por Rejane Luci Silva da Costa

Graves conflitos:
Guerras tiranas,
Crises desumanas.

Cruéis atentados:
Sofrimentos incomparáveis,
Mortes inevitáveis.

Corajosa decisão:
Deslocamento forçado,
Martírio abnegado.

Diferente cultura:
Hábitos para adquirir,
Costumes para assumir.

Nova língua,
Crenças surpreendentes,
Sabores atraentes...

Necessária reintegração,
Preconceitos vis,
Discriminações sutis...

Fortes seres humanos
que de sua terra são obrigados a partir.

Aflitos, deixam sua pátria
crendo que suas dores vão diminuir.

Encontram falta de respeito, de atenção
e se esforçam para não desistir.

Enfrentam toda adversidade
Mas tentam resistir.

Quando recebem abrigo e proteção,
empenham-se para prosseguir.

Com esperança no coração,
lutam para suas vidas reconstruir.





Autora - Rejane Luci Silva da Costa Knoth
Baiana de Inhambupe
Professora e escritora com um livro publicado:
Graduada em Letras Vernáculas com Inglês - UNEB
Especialista em Educação Infantil - UNEB
Pós-Graduada em Metodologias do Ensino da Língua Portuguesa - UGF
Mestre em Letras – UNEB
WhatsApp- 7599605210

Por Rejane Luci Silva da Costa A vida é assim para quem é considerado DIFERENTE: Superar limites todos os dias de maneira fre...

flor-poesia

Por Rejane Luci Silva da Costa


A vida é assim para quem é considerado DIFERENTE:

Superar limites todos os dias de maneira frequente
Driblar obstáculos em seu cotidiano usando uma conduta excelente
Tolerar discriminações a toda hora de forma coerente
Suportar preconceitos a todo instante com estilo inteligente
Resistir aos intolerantes a cada minuto com um meio eficiente
Aturar julgamentos a cada segundo com jeito envolvente
E arcar com as consequências de suas escolhas de modo transparente.

A vida é assim para quem é considerado NORMAL:

Superar limites todos os dias de maneira substancial
Driblar obstáculos em seu cotidiano usando uma conduta ideal
Tolerar discriminações a toda hora de forma genial
Suportar preconceitos a todo instante com estilo sensacional
Resistir aos intolerantes a cada minuto com um meio especial
Aturar julgamentos a cada segundo com jeito natural
E arcar com as consequências de suas escolhas de modo integral.

Afinal,
Quem pode ser considerado DIFERENTE?
Quem pode ser considerado NORMAL?
Ser normal é diferente?
Ou ser diferente é normal?



Autora - Rejane Luci Silva da Costa Knoth
Baiana de Inhambupe
Professora e escritora com um livro publicado:
Graduada em Letras Vernáculas com Inglês - UNEB
Especialista em Educação Infantil - UNEB
Pós-Graduada em Metodologias do Ensino da Língua Portuguesa - UGF
Mestre em Letras – UNEB
WhatsApp- 7599605210

UMA CONVERSA COM AS PALAVRAS - REJANE LUCI SILVA DA COSTA KNOTH Os textos apresentados neste livro foram escritos em diferentes mom...

UMA CONVERSA COM AS PALAVRAS - REJANE LUCI SILVA DA COSTA KNOTH


UMA-CONVERSA-COM-AS-PALAVRAS-LIVRO

Os textos apresentados neste livro foram escritos em diferentes momentos. Momentos de alegria ou de tristeza, de felicidade, de uma saudade saudável ou de apreensão diante dos temas abordados. Além disso, foram segundos de inspiração, horas de reflexão, meses e meses de dedicação, anos de leitura. Esclareço que resolvi fazer esta publicação por conta da época que estamos vivenciando: tempos de incerteza, segundos de tranquilidade, meses e meses de fake news, anos de violência. Uma época bem difícil para desfrutarmos da convivência um do outro.

Exponho, aqui, textos do gênero poema que  tentei  colocar um  pouco  de  poesia,  fazendo  uso  das  palavras, meu  instrumento de trabalho e de luta, da melhor forma que encontrei. Ressalto que o que será lido não se tratam de verdades, nem de uma exposição de defeitos ou qualidades deste ou daquele ser, muito menos de uma crítica a qualquer comportamento. O que será lido nada mais é do que uma visão, o pensamento, extremamente subjetivo de uma mulher, que é mãe, esposa e professora que pretende levar o leitor a refletir e a se emocionar acerca dos assuntos tratados.

REJANE LUCI SILVA DA COSTA KNOTH AUTORA
Rejane Luci  Silva da Costa Knoth
Baiana de Inhambupe
Professora e escritora
Graduada em Letras Vernáculas com Inglês - UNEB
Especialista em Educação Infantil - UNEB
Pós-Graduada em Metodologias do Ensino da Língua Portuguesa - UGF
Mestre em Letras – UNEB

e-mail: reluknoth@yahoo.com.br

Encontro o livro aqui: Shoptime - Submarino - Americanas

Que grande aventura era a vida de Edmundo, ele acordava todos os dias às seis horas da manhã e se lembrava da vida que não teve, dos am...


Que grande aventura era a vida de Edmundo, ele acordava todos os dias às seis horas da manhã e se lembrava da vida que não teve, dos amores possíveis e impossíveis, daquele emprego dos sonhos que ele poderia ter conseguido se tivesse encarado o medo de falar em público, e no fim ele continuava buscando algum sentido nos dias que se repetiam, se perguntando se era um dia a mais ou a menos. Em meio ao caos ele pensava nas coisas que não podia ver, no que ele não podia ter e no que não podia ser.

O menino da cidade já não sabia mais como era ter os pés tocando a terra. As paredes, os prédios, as avenidas, tudo fazia com que ele s...


O menino da cidade já não sabia mais como era ter os pés tocando a terra. As paredes, os prédios, as avenidas, tudo fazia com que ele se esquecesse como era olhar para longe e conseguir ver o céu tocando a terra lá no horizonte. O menino tinha uma saudade no coração que ele não entendia, nem sabia direito de onde vinha. Toda vez em que ele olhava pela janela do ônibus e via as pessoas esperando pela próxima condução para poderem ir para casa, cansadas, estressadas, ele pensava que aquela era uma vida difícil e todos sabiam disso, mas era a vida que eles conheciam e que lhes era alcançável.

Por entre tanta poesia urbana, tanta pressa e monotonia, por entre nossas lembranças mais profanas e nossa eterna agonia. Eu pude ver a ...


Por entre tanta poesia urbana, tanta pressa e monotonia, por entre nossas lembranças mais profanas e nossa eterna agonia. Eu pude ver a luz escorrer pelos meus dedos, como o tempo se arrastar no meio do caos. Em um dia tão infernal, um silêncio crucial perpassava por entre os gritos da cidade em orgasmo. Eu pude ver, eu pude sentir, eu ainda tinha o hoje por entre os ontens de mim.
E hoje eu estava ali. Eu vi o amor com meus próprios olhos. Nenhum poeta me contou.

Cardoso, Ana Emília . A mamãe é rock / Ana Cardoso .Caxias do Sul, RS: Belas-Letras, 2016. Este é um livro sobre a maternidade e todos ...

Cardoso, Ana Emília. A mamãe é rock/ Ana Cardoso.Caxias do Sul, RS: Belas-Letras, 2016.
Este é um livro sobre a maternidade e todos os sentimentos loucos que as mães têm em relação a quem de alguma forma criam, seja um filho natural, adotivo, neto ou sobrinho. É sobre família e é sobre as mães também, esses seres que falam uma língua estranha e chata que só entende quem entra para o clube e se torna uma delas. Não se preocupe, não é um livro de lamentações. É o contrário: tem histórias engraçadas, singelas e verdadeiras. Aqueles que leram O papai é pop estão convidados a conhecer o lado mais in/tenso da experiência. A mamãe é rock é um recorte sem filtro dos divertidos e comoventes malabarismos que um casal moderno faz todos os dias para criar suas filhas.










Classificação:

Olá Romeus e Julietas! Essa é a segunda carta do projeto  Blogueiras em Ação.  A carta de hoje é para um cantor ou cantora. Escolhi ...




Olá Romeus e Julietas! Essa é a segunda carta do projeto Blogueiras em Ação. A carta de hoje é para um cantor ou cantora. Escolhi o mestre Renato Manfredini Júnior!  Espero que gostem.
Carta para um autor. Sobre o Projeto Blogueiras em Ação.

Olá Romeus e Julietas ! Tudo certinho com vocês? Estou participando de um projeto literário super legal! Entrei em cima da hora...nem de...

Olá Romeus e Julietas! Tudo certinho com vocês? Estou participando de um projeto literário super legal! Entrei em cima da hora...nem deu para fazer postagem de apresentação, mas farei depois. Enfim... todo o mês temos que postar uma carta com determinado tema. Veja mais aqui! Para começar teríamos que escreve uma carta para um autor. Escolhi Maha Akhtar , A Neta de Maharani! Espero que gostem!

Vinci ... Um livro para ler, suspirar, interagir e se encantar. Em cada página uma história para rir, se emocionar, refletir. Seu caderno...

Vinci... Um livro para ler, suspirar, interagir e se encantar. Em cada página uma história para rir, se emocionar, refletir. Seu caderno, sua agenda, seu livro sobre vida, amor, sobre você! Impossível ressistir ao encanto de Vinci."Superar um obstáculo não é vencer o medo, é aliar-se a ele em busca de coragem!" - J.C
Classificação:

Drácula e Batman discutem no asilo. Robespierre tenta subornar o carrasco. Goya e Picasso conversam sob o sol da Côte d’Azur. Juvenal pla...

Drácula e Batman discutem no asilo. Robespierre tenta subornar o carrasco. Goya e Picasso conversam sob o sol da Côte d’Azur. Juvenal planeja matar a mulher, Marinei, que o despreza. A recém-casada Heleninha pede conselhos ao urso de pelúcia. Qual um existencialista dotado de senso de humor, Verissimo persegue em suas crônicas o absurdo que marca a existência humana – salvo engano, a única que se preocupa com o seu propósito, o seu término e se alguém está falando demais na hora do pôquer. Em nenhum momento essa maldição se torna mais evidente do que na hora em que o homem abre a boca. Então, o que era para comunicar acaba é “estrumbicando”. Nas crônicas reunidas neste volume, Luis Fernando Verissimo escreve sobre impossibilidade, incomunicabilidade e mal-entendidos. Escreve, enfim, sobre a vida.

Classificação:

Em um desses dias que parecem ridiculamente curtos em relação à quantidade de tarefas que se precisa fazer, estava lá eu presa em mais ...


Em um desses dias que parecem ridiculamente curtos em relação à quantidade de tarefas que se precisa fazer, estava lá eu presa em mais um engarrafamento, com muitas pessoas estressadas buzinando como se isso fosse magicamente tornar o trânsito mais eficiente, xingando umas às outras, desejando poderem abandonar os carros ali e seguirem o caminho andando. Como uma praticante fervorosa do “ficar de boa com a vida”, eu coloquei a minha banda favorita para tocar, olhei aquela vastidão de prédios atrás de prédios e de linhas cortando o céu e peguei-me a pensar que eu poderia estar lendo um daqueles livros que fui deixando pela metade ao longo do ano. 

Freitas, Pedro Chagas . Prometo falhar/ Pedro Chagas Freitas .- Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2015. Prometo Falhar é um liv...

Freitas, Pedro Chagas. Prometo falhar/ Pedro Chagas Freitas.- Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2015.
Prometo Falhar é um livro que fala de amor. O amor dos amantes, o amor dos amigos, o amor da mãe pelo filho, do filho pela mãe, pelo pai, o amor que abala, que toca, que arrebata, que emociona, que descobre e encobre, que fere e cura, que prende e liberta. Em crônicas desconcertantes, Pedro convida o leitor a revisitar suas próprias impressões sobre os relacionamentos humanos. A linguagem fluida, livre, sem amarras, faz querer ler tudo de uma vez e depois ligar para o autor para terminar a conversa . Medo, frustração, inveja, ciúme e todos os sentimentos que nos ensinaram a sufocar são expostos sem pudores. Mergulhe de cabeça numa obra que mostra que é possível sair ileso de tudo, menos do amor. Você escolhe a ordem em que vai ler as crônicas do jovem escritor que tem 21 obras publicadas e é sucesso de vendas em Portugal.

Classificação:

Por J. L. Ribeiro Os momentos que me faziam feliz, os pensamentos que me faziam humano, não os vejo mais aqui, não os vejo mais em ...



O homem sem sentimentos

Por J. L. Ribeiro


Os momentos que me faziam feliz, os pensamentos que me faziam humano, não os vejo mais aqui, não os vejo mais em mim, e tentar entender me deixou insano. Poucos entendem minha ira, poucos compreendem que precisei me libertar dos sentimentos, precisei prender os pensamentos que tentam parar minha busca.

Traga-me mais uma xícara de café, eu preciso analisar o comportamento feminino. Caso queira saber, não sei por que me dei essa tarefa, so...

Traga-me mais uma xícara de café, eu preciso analisar o comportamento feminino. Caso queira saber, não sei por que me dei essa tarefa, sou tão homem quanto os homens que mentem, assim como os que não ligam no dia seguinte, sem falar da minha fraqueza de sempre perguntar: e aí? Foi bom?

Um dia um grande amigo meu me perguntou qual era o motivo pelo qual eu escrevia, tentei responder, tentei lhe dizer algo razoável, ...



Um dia um grande amigo meu me perguntou qual era o motivo pelo qual eu escrevia, tentei responder, tentei lhe dizer algo razoável, mas a verdade se quiser saber, é que fazemos o que fazemos por puro egoísmo. Escrevo porque me sinto bem fazendo isso, não penso em melhorar a vida de ninguém, assim como não penso em piorá-las. Pois todos nós somos egoístas, tentamos diferenciar o bem do mau, mas na verdade não existe bem e muito menos mal, a única coisa que existe é solidão.

Olá bolinhas de pelo! Venho trazendo para vocês resenha do Livro  Bola de pelo-Contos sobre gatos    que foi enviado pela autora Gisele Car...


Olá bolinhas de pelo! Venho trazendo para vocês resenha do Livro Bola de pelo-Contos sobre gatos  que foi enviado pela autora Gisele Carmona, que é parceira do Jornalismo na Alma. Fiz uma resenha escrita, com notinhas e outra em vídeo para as pessoas que desejam saber do livro de uma forma mais rápida. Espero que gostem. Em breve tem sorteio dele no blog.

Vídeo Resenha   

NOTAS
Capa: 10
Conteúdo: 10
Diagramação: 10
Nota geral: 10 


Felinos... Os bolinhas de pelo
Por Paloma Viricio


Esse livro tem algo especial, não pelo fato de ser um livro sobre crônicas e elas serem engraçadas no geral, mas sim porque ele reuniu diversos autores e mais do que isso, escritores que fizeram seu papel muito bem por apenas uma coincidência entre os mesmos: O amor aos gatos. A obra conta com um conjunto de 14 contos, uns engraçados, outros tristes e alguns reflexivos. O fato é que a combinação desses ingredientes tornou Bola de Pelo uma obra única, doce e maravilhosa.

O texto da contracapa desse livro descreve perfeitamente os bichanos que levaram essa obra a ser publicada. “ Eles são amados por uns, odiados por outros. Muitos chegam a teme-los. Alguns dizem que têm a sensação de que os gatos, ao fixar seu olhar, leem pensamentos. O inegável é que esse animais causam fascinação por onde passam. E isso não é de hoje.” A capa é linda e passa uma sensação e descontração e familiaridade, as folhas são brancas, mas não cansam a visão, pois são compensadas por letras em tamanho adequado. Todos os contos são dignos de aplausos, e por isso, essa resenha será finalizada com aqueles que podemos destacar como especiais:


Um Miado no Escuro (Gisele Carmona)- Essa pode ser considerada a trama mais linda e emocionante da obra. Ela conta as facetas de um simples gatinho preto em se livrar do preconceito que o acompanha desde o nascimento do mesmo. Além de aconchegante esse conto é super-reflexivo e está entre os favoritos do livro.


Conspiração Felina (José Araújo)-  Esse conto é o mais engraçado do livro. Ele conta a trama de um gatinho super maquiavélico que escreve no diário pessoal, todos os tipos de conspiração contra os humanos que se possa imaginar. Ele mora com uma família convencional formada por pai, mãe e um casal de filhos. O objetivo dele é tomar conta da residência e ser o grande mestre da casa. Mas, será que os planos A, B e X do felino darão certo?

Orbes Escarlates (Vitt Manzini)- Esse é um conto tanto quanto sombrio e muito chamativo. Para aqueles que gostam de suspense, algum tipo de obsessão sobrenatural e um final dilacerante irá amar o conjunto dessa obra.

O Gatuno de Jacira ( Darcicley Lopes)- Esse fala de um gatinho, esperto, sacana e sonso que surgiu lá pelas bandas de uma cidadezinha do nordeste e fez a festa as custas de um povo inocente e humilde. Esse conto envolve política  mostrando de forma digamos um tanto cômica como a população pode ser manipulada pelos grandes e enganada facilmente. Em épocas de eleições é bom ficar atento!!Vale muito a pena ler.

Licença Creative Commons
O trabalho Felinos... Os bolinhas de pelo de Paloma Viricio foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Brasil.
Obs.: Todos os textos produzidos neste blog são da minha autoria e estão registrados. Se utilizá-los, por favor lembre-se dos créditos.




Aproveitando que estamos falando desses animais super fofinhos, gostaria de mencionar um projeto super lindo da minha amiga Pati! Ela tem um blog onde as pessoas podem escolher um amiguinho gatinho e adotar! Quem tiver interesse ou conhecer alguém que queira um felino é só acessar e entrar em contato com ela.